Colonização

O Brasil Lusitano

 

Até a fundação da Cidade do Salvador, o Brasil era a terra dos índios, reivindicada por Portugal, com alguns povoados no litoral, e explorada por franceses.

O Tratado de Tordesilhas foi um acordo entre Portugal, Espanha e o Papa. Não houve a participação das demais nações. Além disso, a Igreja Católica passava por uma de suas piores crises, com a Reforma Protestante.

Os dois primeiros povoados com europeus do Brasil foram fundados na Bahia, entre 1500 e 1503. O primeiro em Porto Seguro e o segundo em Caravelas. Em Porto Seguro, participou dois frades franciscanos, que construíram a primeira igreja brasileira, a Igreja da Glória. Em Caravelas, fundou-se uma feitoria, em 1503, onde foram deixadas 12 peças de artilharia e 24 homens.

O primeiro núcleo de colonização formal foi a Vila de São Vicente, fundada em 1532, por Martim Afonso de Souza.

Entretanto, essas primeiras tentativas de se estabelecer um domínio lusitano na América não tiveram grande sucesso. De 1500 até 1549, as terras brasileiras eram reivindicadas pelos portugueses, saqueadas pelos franceses, mas efetivamente dominadas pelos índios. Era a Pindorama. Todos os povoados que se instalaram no Brasil nesse período, sem a concessão dos índios, foram massacrados.

A colonização efetiva do Brasil começou apenas depois da fundação da primeira capital, quando finalmente Portugal passou a executar um projeto eficiente de colonização, administração e defesa das terras que reivindicava no Novo Mundo.

 

Um dos maiores templos dos jesuítas na América, atual Catedral Basílica de Salvador. Os primeiros padres da Companhia de Jesus chegaram pobres e humildes, em 1549, junto com Thomé de Souza. Em meados do século 18, eram ricos e poderosos. Para o Marquês de Pombal, poderosos demais e foram expulsos dos territórios portugueses. Os jesuítas foram os educadores do Brasil enquanto aqui estiveram. Foram de importância imensa na integração entre brancos e índios. Retornaram gradativamente a partir do século 19.

Na segunda metade do século 18, a antiga Sé Primacial, a mais grandiosa igreja brasileira até então, apresentava problemas estruturais. Portugal cedeu, então, a igreja dos jesuítas da Bahia para a celebração dos ofícios divinos, uma vez que o templo ficou desocupado com a saída dos jesuítas. A Sé foi demolida em 1933.

Não é possível contar a História da América Lusitana sem citar a contribuição dos jesuítas.

 

1575 - Iniciou-se a colonização de Sergipe, com as missões coordenadas pelo jesuíta Gaspar Lourenço, partindo da Bahia. A caminho do Rio Real, o padre ouve de um cacique a versão mitológica do "dilúvio brasileiro".

1578 - O Brasil foi novamente unificado, com capital em Salvador.

1580 - União Ibérica. A interrupção da dinastia de Ávis leva o Reino de Portugal a unir-se à Espanha. O rei espanhol Felipe II tornou-se também o rei Felipe I, de Portugal.

A União Ibérica foi selada sob a condição de que os próprios portugueses administrariam seus domínios ultramarinos, inclusive o Brasil. Portugal passou, então, a ser governado por um vice-rei português, nomeado pelo rei da Espanha.

O rei espanhol Felipe II respeitou o acordo que forjou a União Ibérica, mas seus sucessores, Felipe III e, principalmente, Felipe IV, o negligenciaram. A Holanda, antiga aliada dos portugueses, transformou-se em inimiga com a União Ibérica, atacando e ocupando grandes faixas do litoral brasileiro. Houve também um relaxamento do Tratado de Tordesilhas. O domínio espanhol sobre Portugal durou até 1640, quando ascendeu ao trono português a Casa de Bragança, num rompimento unilateral de Portugal.

O século 16 termina com o Brasil sob domínio espanhol e com ingleses e holandeses tentando invadir a Cidade do Salvador, a capital.

Brasil no Século 17 ►

 

Seria o Brasil um país melhor se fosse colonizado por ingleses, holandeses ou franceses?

Provavelmente não, apesar da torcida retroativa de muitos, que se baseiam nas nações do século 20.

Nos século 16 e 17 tudo era muito diferente. Portugal era a nação mais desenvolvida e poderosa do mundo, quando descobriu o Brasil. A Espanha veio depois.

Até boa parte do século 17, os ingleses não passavam de piratas dos mares, quando copiaram a tecnologia dos portugueses e espanhóis para aprenderem a navegar.

Recife, a capital holandesa por um quarto de século, não chegou a desenvolver-se mais do que Salvador ou Rio de Janeiro, as capitais portuguesas. A reforma educacional promovida por Nassau tinha o principal objetivo de substituir a cultura portuguesa pela holandesa. O ensino dos jesuítas, era o melhor sistema de educação nos territórios ultramarinos.

As colônias francesas, holandesas e inglesas na América do Sul (Guianas) e Caribe nunca se destacaram pelo seu desenvolvimento.

O que aconteceu nos EUA e Canadá foi bem diferente, devido à distribuição de terras entre os colonos. O mesmo desenvolvimento aconteceu no Sul do Brasil, a partir do século 19, com a chegada dos imigrantes que também receberam terras agricultáveis.

 

Juridicamente, o Brasil não era uma colônia de Portugal, como foram as colônias africanas e asiáticas de países europeus, no século 20. Já no século 16, o Brasil era uma província de Portugal. No início do século 17, tornou-se o Estado do Brasil. No final do século 18, os brasileiros reclamavam da preferência sempre dada aos portugueses, tanto no comércio quanto em cargos públicos. Isso gerou os primeiros movimentos de emancipação política.

A partir da chegada do Príncipe Regente Dom João, em Salvador, em janeiro de 1808, o Brasil passou a ser governado diretamente pela Corte Portuguesa.

Os portugueses eram muito cuidadosos com o registro histórico de suas realizações. Infelizmente, o terremoto de 1755, em Lisboa, destruiu grande parte da cidade e dessa documentação, dos registros históricos de seus domínios em quatro continentes.

Cronologia

1548 - Após a primeira fase de colonização do Brasil, com as Capitanias Hereditárias, Dom João III adquiriu a Capitania da Bahia, que passou a ser um território Real, para fundar a primeira capital e estabelecer um governo centralizado. Nomeou Thomé de Souza como o primeiro governador do Brasil e lhe entregou um Regimento, datado de 17 de dezembro de 1548, que pode ser considerado a primeira constituição do Brasil.

1549 - Thomé de Souza chegou na Bahia em 29 de março e construiu a Cidade do Salvador, de forma planejada para ser a sede do Governo do Brasil. Os primeiros jesuítas desembarcaram com Thomé de Souza.

1551 -  Fundou-se a primeira diocese do Brasil, a de São Salvador da Bahia. No ano seguinte, instalou-se a primeira catedral do Brasil.

1553 - Duarte da Costa, segundo governador geral, consolidou o projeto de colonização, introduzindo a produção do açúcar.

1558 - Mem de Sá, terceiro governador do Brasil, inicia a expulsão dos franceses, que tinham ocupado o Maranhão e o Rio de Janeiro.

1565 - Fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, a segunda cidade fundada no Brasil depois de Salvador.

1572 - As dificuldades para administrar o imenso território brasileiro e as constantes invasões dos franceses levou Portugal a dividir o Brasil em dois setores: o norte, com capital em Salvador, e o sul, com capital no Rio de Janeiro.

 

Igreja Olinda

 

◄ Século 16

 

Igreja de N.S. da Misericórdia em Olinda, fundada pelos irmãos da Santa Casa. Acredita-se que os primeiros hospitais do Brasil foram fundados pela Irmandade da Santa Casa da Misericórdia, após a fundação das primeiras vilas, nos anos 1530. O historiador Francisco Augusto Pereira da Costa (1851-1923), identificou registros de um hospital em Olinda, em 1540. Entretanto, o primeiro hospital do Brasil foi fundado em Porto Seguro, de acordo com Dom João V, que citou em carta de 1718, que a Santa Casa de Porto Seguro "fora a primeira e mais antiga que houve, e há naquelle Brazil".

 

O Vice-Reino do Brasil Não Existiu

Alguns historiadores atribuem um status intermediário de vice-reino, ao Brasil. Contudo, o vice-reinado estava ligado ao título dos governantes (vice-reis) e não ao status do Brasil.

Não houve qualquer documento elevando oficialmente o Brasil a vice-reino. Além disso, ocorreu descontinuidade na atribuição desses títulos aos governadores do Brasil.

Os vice-reis eram representantes do monarca, que governavam um país, um estado ou uma província, por exemplo. Outros territórios ultramarinos portugueses também foram governadas por vice-reis.

Durante a União Ibérica, Portugal também foi governado por um vice-rei, nomeado pelo rei da Espanha.

Mais: os Nomes do Brasil

 

Brasil mapa antigo

 

Invasao Holandesa Bahia

 

Historia Espanha

 

Igreja Jesuitas

 

Historia Brasil

 

Portugal

 

Copyright © Guia Geográfico - Informações e Dados Históricos do Brasil Colonia.

 

 

 

Historia do Brasil

 

 

 

 

Roberto Abreu

 

 

 

 

 

 

 

Márcio Silva