A República do Brasil

 

1870 - Manifesto Republicano

organização do Partido Republicano que inicialmente ganhou muitos adeptos em algumas províncias, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

1889 - Cansado, Dom Pedro II afasta-se. Em 15 de novembro o alagoano Deodoro da Fonseca, então marechal do exército e veterano da Guerra do Paraguay, organizou um governo provisório e decretou o fim da Monarquia. Em seguida, instala-se a República no Brasil.

1890 - convoca-se uma Assembleia Constituinte.

1891 - Em 24 de fevereiro foi promulgada a primeira constituição republicana do Brasil. O Presidente da República seria eleito pelo povo, mas apenas pelos cidadãos homens, maiores de 21 anos e alfabetizados. Ruy Barbosa foi o principal autor dessa Constituição.

O poder executivo chefiado pelo Presidente da República; o poder legislativo composto pelo senado e câmara dos deputados; o mandato eletivo de quatro anos; a impossibilidade de reeleição e o fim do cargo vitalício para os senadores. Além disso, as províncias passam a ser estados da federação, cada estado passa a ter um presidente eleito pelo voto direto. O catolicismo também deixaria de ser a religião oficial do país. O primeiro presidente da República brasileira é eleito pela Assembleia Constituinte.

Os alagoanos Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto são eleitos, respectivamente, presidente e vice-presidente do Brasil. Ao final de 1891, Deodoro da Fonseca dissolve o Congresso.

Liderada pelo Almirante Custódio de Melo, a Revolta da Esquadra ameaça bombardear o Rio de Janeiro, levando o presidente à renúncia em 23 de novembro de 1891 e conduzindo ao governo o vice Floriano Peixoto.

A oposição então acusa o Presidente de manter-se ilegalmente no poder, uma vez que a nova Constituição previa que caso houvesse vacância na Presidência antes de dois anos de mandato haveria nova eleição.

Em setembro de 1893, um grupo de altos oficiais da Marinha, apoiados por outros jovens oficiais e monarquistas, exige uma nova convocação eleitoral, deflagrando o movimento conhecido como a Revolta da Armada. Com pouco apoio político e popular no Rio de Janeiro, os revoltosos tentam uma frustrada articulação com os federalistas gaúchos e são derrotados em março de 1894 com o apoio efetivo do Exército e do Partido Republicano Paulista.

1892 - o Papa Leão XIII divide o Brasil em duas Províncias Eclesiásticas, a do norte, com sede em Salvador, e a do sul, com sede no Rio de Janeiro, através da bula Ad universas orbis ecclesias, de 27 de abril. Até então, existia apenas uma arquidiocese no País, a de São Salvador da Bahia, e todas as outras dioceses eram subordinadas a ela.

1894 - O paulista Prudente de Morais é eleito presidente, o primeiro civil, e toma pose em novembro desse ano. Assume com o País em grave crise econômica.

1896 - Guerra de Canudos►

1897 – o Presidente decreta estado de sítio e o País continua em grave crise econômica, com inflação elevada e grande dívida externa.

Afonso Pena, Presidente da província de Minas Gerais, inaugura a cidade de Belo Horizonte, com projeto Aarão Reis.

1898 - O paulista Campos Sales toma posse como Presidente da República e promove a estabilidade econômica, com o aumento de impostos e a renegociação da dívida externa com a Inglaterra.

O Brasil no Século 20►

 

 

 

 

 

◄ Brasil no Século 19 (assunto anterior)

 

Simbolos Brasil

 

Mapas Historicos Brasil

Canudos

 

Historia Brasil

 

Presidentes Brasil

 

Copyright © Guia Geográfico - Informações e Dados Históricos do Brasil

 

Bandeira Brasil

 

Historia do Brasil