Guerra da Independência do Brasil

Apesar do Brasil ter sido elevado à condição de Reino Unido a Portugal e Algarves, em 1815, os brasileiros, na prática, não recebiam o mesmo tratamento em comparação com os portugueses. Existia, por exemplo, discriminações na ocupação de cargos e nos empreendimentos comerciais.

A Independência do Brasil não se deu com uma declaração. Ela foi um processo complexo que envolveu uma guerra, como observa o historiador Luís Henrique Tavares.

Sete de Setembro de 1822 marcou o rompimento de Dom Pedro com Portugal, o que resultou na Guerra de Independência. Não houve declaração de independência em Sete de Setembro. O Príncipe bradou: Independência ou Morte, o que só pode ser entendido como uma declaração de guerra.

O principal campo de batalha ocorreu na Bahia. A luta armada no Recôncavo Baiano havia começado em fevereiro de 1922.

Os portugueses eram um povo orgulhoso de suas conquistas, de sua história. Mandaram pras Guianas todos os invasores da América Portuguesa: franceses, ingleses e holandeses. Sufocaram, até a época, todas as rebeliões internas. Após a derrota de Napoleão, chamaram seu rei de volta.

Caso os portugueses dominassem a Bahia, não se esperaria menos que marchassem para dominar o Rio de Janeiro. Nesse contexto, a expulsão dos portugueses da Bahia, em Dois de Julho de 1823, marca o ponto de inflexão do processo de independência. A partir de então, ficou claro que era um processo sem volta.

 

Cronologia

1822

Em fevereiro, as primeiras batalhas com os portugueses iniciam-se em Salvador. Em julho, uma canhoneira portuguesa situada na barra do Paraguaçu, alveja a cidade de Cachoeira, na Bahia.

Forças políticas portuguesas exigem o retorno do príncipe regente D. Pedro à Portugal. O príncipe nega-se a sair do Brasil. Em junho desse ano convoca uma Assembleia Constituinte e em Sete de Setembro rompe com Portugal, iniciando a Guerra de Independência do Brasil.

Em dezembro, o príncipe é coroado D. Pedro I, imperador do Brasil, buscando reconhecimento internacional para a causa da Independência.

As batalhas com os portugueses continuam no Norte, Nordeste e na Província Cisplatina. O palco principal da Guerra era o Recôncavo Baiano.

1823 - Os portugueses são expulsos da Bahia, em Dois de Julho, uma data fundamental no processo de Independência do Brasil.

A Independência do Brasil foi um processo que se estendeu de 1822 a 1824, quando Portugal finalmente reconhece o Brasil como nação independente.

1824 - Portugal e Inglaterra, a maior potência da época, reconhecem o Brasil como nação soberana.

 

Após a vitória de Pirajá, os brasileiros entram em Salvador, em Dois de Julho de 1823. Na foto, parte da tela Entrada do Exército Libertador de Presciliano Silva, 1930. O Convento da Soledade domina o pano de fundo. Acervo da Prefeitura de Salvador.

 

Vitoria Brasileiros

 

Maria Quitéria, a heroína da Independência do Brasil, representada por Augustus Earle, o mesmo desenhista que acompanhou Charles Darwin no Beagle. Ilustração publicada no livro de Maria Graham, em 1824. Maria Quitéria usava um saiote escocês, que ela adotou, inspirada em uma ilustração que ela viu de um highlander.

 

◄ Brasil no Século 19 (assunto anterior)

 

 

Mapas Historicos Brasil

 

Historia Brasil
Independência

 

 

 

Bandeiras

 

Copyright © Guia Geográfico - Informações e Dados Históricos do Brasil

 

 

Historia do Brasil